INFRACEA Balizamento Heliponto Faria Lima, São Paulo, SP

INFRACEA foca helipontos em São Paulo

A INFRACEA realizou durante o mês de abril e ao longo do mês de maio mais uma obra de grande relevância. Num contexto diferente dos grandes aeródromos, essa ocorreu num ambiente de aeronaves, chamadas de asa rotativas, ao menos no que diz respeito ao tipo de aeronaves que operam e a extensão do espaço físico: um heliponto! Mas como a expertise da empresa se adequou à confecção dessa obra e quais foram os desafios superados para entregá-la?

PROJETO, ETAPAS E EXECUÇÃO

A participação da INFRACEA na realização dessa obra iniciou-se com o acontecimento de um processo licitatório por parte da empresa construtora do edifício onde heliponto haveria de ser construído, localizado na Av. Faria Lima, na metrópole de São Paulo. Após todo o processo de compra e apresentação da empresa, e, em seguida, reuniões técnicas acerca do projeto, ficou então estipulado que a INFRACEA seria responsável pela parte elétrica da obra, consistindo na instalação de balizamentos luminosos; de uma biruta iluminada, que cumpre o papel de indicar a direção do vento, informando o piloto a melhor forma de se aproximar do heliponto para efetuar o pouco; um abrigo metálico para extintores, que sobem até o nível da base do heliponto, permitindo um manejo mais prático e seguro; e lâmpadas com controle luminoso de três níveis, correspondentes ao grau de visibilidade que o piloto terá de acordo com as condições de tempo e de visibilidade do momento. No todo, é uma obra que aumenta a segurança das operações de voo, tanto na decolagem quanto no pouso, além claro, de proporcionar operações noturnas.

Esse é um caso em que a INFRACEA arcou com a execução do projeto. O Diretor Técnico da INFRACEA, Luciano Vicente, explicou que nos casos em que a empresa elabora também o projeto, existem outras etapas, tais quais o envio de uma equipe qualificada ao local onde será realizada a obra, o levantamento topográfico para verificar os possíveis obstáculos no espaço aéreo, a confecção dos projetos, a sondagem do solo, os processos perante o COMAER, e o cadastro de intenção de obra junto à ANAC. Esse é um processo que dura entre 30 e 45 dias.

Para uma empresa que já opera no setor aeroportuário há tanto tempo, a execução de uma obra como um heliponto acaba se tornando mais simples, mas o quais os fatores que são requisitos para que tudo ocorra da melhor maneira possível? Na opinião de Luciano, o aspecto profissional conta muito. É necessário ter uma equipe bem capacitada e com conhecimentos complementares. Profissionais que detenham grande conhecimento sobre as normas a serem seguidas, sobre os procedimentos para preparar o PBZPH (Plano Básico de Zona de Proteção de Heliponto), que saibam as práticas do projeto, e que estejam dispostos a compartilhar essa experiência acumulada de anos com membros mais novos da equipe, a fim de treinar cada vez mais profissionais qualificados e independentes, o que acaba não só por culminar em obras bem-feitas, mas também as agiliza.

OS MAIORES DESAFIOS

O número de profissionais envolvidos em projetos como esse pode acabar se tornando um problema se considerarmos o cenário atual da pandemia. Uma obra na parte elétrica exige ao menos dois profissionais, como medida de segurança, mas pode envolver muito mais pessoas ao todo se levarmos em conta as etapas anteriormente citadas, como auxiliares, topógrafos, especialistas e a parte civil, que considera o uso de equipamentos como betoneira, geradores etc. Esse volume de pessoas pode causar complicação principalmente na parte da logística, uma vez que a Covid-19 gera dificuldades em áreas como as da locomoção, hospedagem e alimentação, além de agregar novas normas e medidas protetivas como o uso de máscara e o distanciamento social.

Mesmo nesse contexto, a política da INFRACEA é clara: a motivação do profissional é elemento da maior importância para a empresa. Para isso estipulou-se que nenhum profissional deve ficar mais de 30 dias longe da família, o que inclui um sistema de rodízio, boa relação com os gestores e ótima comunicação com a família. Por meio dessas medidas, o profissional mantém um equilíbrio saudável entre o trabalho e a vida pessoal num momento tão delicado quanto o atual, no qual os projetos continuam a chegar, mesmo com a logística abalada.

EXCESSÃO OU REGRA

Com a realização de uma obra como essa, diferente das habituais, resta a pergunta: esse foi um caso especial ou um novo segmento de atuação? A INFRACEA divulgou que existem atualmente 4 projetos ligados a helipontos, e que existe prospecção por novos clientes, não apenas na capital do estado de São Paulo, mas em todo o Brasil e, possivelmente, no exterior.

Os helipontos, portanto, estão nos planos de futuro da INFRACEA, e a intenção é realizar trabalhos que incluam elaboração, execução, homologação e até mesmo correção ou manutenção de obras nesse quesito. Um plano que almeja um novo segmento, mas que deve destacar a empresa pelas qualidades já reconhecidas. As boas definições e metodologia de trabalho; o comprometimento; a interação e comunicação com o cliente, que em obras como essa muitas vezes requer respostas diárias; e a transparência em todos os processos.

“Estamos agora inaugurando em São Paulo uma terceira empresa que irá unir-se às empresas do grupo: INFRACEA Aeroportos e a INFRACEA Serviços. A INFRACEA Helipontos & Skyports."

"A INFRACEA Helipontos & Skyports está chegando para expandir o mix de produtos e serviços que o grupo INFRACEA já apresenta hoje para o setor, expandiremos nossa atuação no principal polo de operação de helicópteros do Brasil e segundo maior do Mundo, tudo isso dentro de um escritório bem estruturado, que nos permitirá ampliar os horizontes não só realizando planejamento e implementação de projetos e serviços relacionados à helipontos, mas também observando bem de perto o futuro, nos mantendo próximos de técnicas e tecnologias de ponta e novas tendências como os skyports”, comentou Fernando Siqueira, CEO & Fundador da INFRACEA.

Por meio dessas credenciais a INFRACEA deixa claro que está pronta para execução imediata de projetos de heliponto, e almeja valorizar aquilo que sempre fez parte do seu DNA; o desenvolvimento da cidade, a melhora da mobilidade, em meio a uma tendência de trânsito caótico, e a celeridade do transporte; fatores que tornam viajar uma experiência mais rápida, eficiente e segura.

INFRACEA

Bloqueir@s da INFRACEA

Autor@

A INFRACEA possue uma equipe especializada em coletar e reportar informações de qualidade à população, empresários, gestores públicos, gestores e trabalhadores do setor aeroportuário.